Dicas para Principiantes

Como dar os primeiros passos na profissão

Os clientes potenciais e os colegas da sua região precisam de saber:

  • que terminou a sua formação e está disponível para trabalhar;
  • qual é a sua combinação linguística;
  • como entrar em contacto consigo.

O trabalho não cai do céu, portanto cabe-lhe a si tomar a iniciativa:

Dê-se a conhecer

  • Às Organizações Internacionais do mundo inteiro que tenham as suas línguas de trabalho; 
  • Aos empregadores locais assim como a gabinetes ou secretariados de intérpretes;
  • A todos os colegas de profissão (quer trabalhem para a(s) sua(s) língua(s) activa(s) ou não);
  • Ultrapasse as fronteiras da sua região.

Desenvolva boas práticas profissionais

  • Não perca de vista a necessidade de rodagem: pratique consecutiva e faça cabina "muda" com colegas;
  • Mantenha-se a par das notícias;
  • Descubra o significado da gíria da profissão: opção, oferta firme, lucros cessantes, relay, pivot;
  • Conheça e aplique boas maneiras em cabina;
  • Mantenha sempre a sua agenda actualizada.

Respeite os princípios firmes de todos os intérpretes profissionais

Os intérpretes de conferência podem ou não estar organisados no plano nacional - por vezes em conjunto com tradutores. No plano internacional reúnem-se no seio da AIIC.

Desde 1953, ano da sua fundação, que a AIIC estabeleceu o Código de Ética e as respectivas Normas Profissionais; que tem também vindo a negociar vários Acordos de Contratação Colectiva com as grandes Organisações Internacionais e que tem publicado uma gama variada de checklists, pesquisas e recomendações para profissionais e utilizadores.

Os resultados dos esforços contínuos no campo da formação de intérpretes de conferência tornaram a AIIC no ponto de referência para todos os cursos de formação em interpretação de conferência (tanto a nível universitário como pós-universitário).

Descubra o mundo das conferências

O funcionamento duma reunião ou duma conferência é quase sempre o mesmo, o que varia é a escala. Não podemos esquecer que o intérprete de conferência faz parte duma equipa, duma engrenagem.

A função do intérprete é a de assegurar uma comunicação rigorosa e eficiente para lá das barreiras linguísticas. No entanto, em cada conferência intervêm vários elementos. A conferência será bem sucedida se todos os intervenientes se empenharem em trabalhar em conjunto de forma eficaz.

Os intérpretes independentes/freelance necessitam dum contrato por conferência. Nele estipulam-se os dados pertinentes, estabelecem-se as condições de trabalho e os termos financeiros. Estes contratos de trabalho são vinculativos entre o cliente e o intérprete e são indispensáveis para assegurar um bom entendimento entre todos.

Mais vale prevenir que remediar: quando se trabalha pela primeira vez para Organisações Internacionais há informação específica e disponível que o pode ajudar a não se perder.

Leitura recomendada: Primeiro Contrato junto de Organisações Internacionais

Aprenda a gerir a sua carreira

Fazer carreira no campo da interpretação não significa seguir um caminho linear ou por etapas, como acontece na vida académica ou na função pública.

O mundo das conferências é composto por várias esferas de mercado:

  • O mercado privado nacional: empresas, organismos oficiais;
  • O mercado privado internacional: multinacionais, associações profissionais ou sindicais internacionais, canais de televisão, acontecimentos desportivos internacionais;
  • O mercado institucional internacional: Organisações Internacionais (UE, família da ONU, etc.), ONGs.

Que opção escolher?

Consoante a sua combinação linguística, o local onde reside e a sua preferência, a opção será a de trabalhar como profissional independente/freelance ou a de integrar o quadro dum organismo nacional ou internacional.

Para se ter acesso a esses mercados, sugerimos:

  • Que explore os contactos estabelecidos durante o período de formação
  • Que se apresente aos intérpretes-recrutadores de equipas e aos gabinetes de intérpretes da sua região
  • Que se apresente aos colegas que têm a mesma combinação linguística que a sua
  • Que entre em contacto com os serviços de recrutamento das organisações, algumas internacionais, onde a sua combinação linguística é utilizada: a UE, a ONU, as agências da UE e da ONU, etc.

Uma vez bem lançada a sua carreira, pode interessar-lhe tornar-se intérprete-consultor/recrutador. Estes colegas compõem equipas de intérpretes de conferência para uma clientela muito variada. Para tal é necessário experiência, bom senso, qualidades inter-pessoais e sentido comercial. Esta função exige capacidade para responder rapidamente aos pedidos, agilidade mental, seriedade comercial e um alto grau de profissionalismo. É necessário dominar bem todos os trâmites da organisação de acontecimentos (desde a apresentação de orçamentos à elaboração de contratos, às questões técnicas, jurídicas e fiscais) antes de se lançar como intérprete-consultor/recrutador.

Os seguintes artigos tratam deste assunto:

Quando aceitar/recusar uma proposta de trabalho

Primeiro passo:

  • Reflectir sobre a informação que lhe foi fornecida ou pedida.
  • Pedir conselhos a um colega mais experiente. 

Segundo passo:

  • Dar resposta ao pedido assim que lhe for possível.

Que factores pesam na sua decisão?

  • Está livre nessa(s) data(s)?
  • A sua combinação linguística encaixa-se na cobertura linguística necessária?
  • As condições oferecidas são as adequadas?

Desconfie:

  • Se não lhe for fornecido um contrato para esse trabalho uma vez confirmado.
  • Se a composição da equipa não lhe parecer adequada: as línguas estão insuficientemente cobertas, o número de colegas não se adequa à carga de trabalho, ou o organisador não lhe responde claramente sobre quem são os outros colegas;
  • Se as condições de trabalho lhe levantarem dúvidas: não há documentação para preparar a conferência; os honorários são irrealistas; não estão previstas ajudas de custo para um trabalho que se realiza fora do seu endereço profissional; não está especificada a viagem se for necessária; as cabinas e respectivo equipamento não respeitam as normas ISO/NP;

Elaborámos uma lista de perguntas de rotina que o ajudará a tomar a decisão correcta quando lhe oferecerem trabalho, venha o pedido de alguém que conhece ou não.

Aprenda a evitar surpresas desagradáveis

À partida quer-se sempre aceitar uma oferta, pois quanto mais trabalho melhor e gostamos de poder mostrar disponibilidade e flexibilidade. Mas, a prazo, estar sempre disposto a ceder e aceitar exercer em condições de trabalho inadequadas pode comprometer o seu futuro e virar-se contra si.

A não ser que se mantenha atento, há situações que podem acabar muito mal:

  • Dá consigo sozinho na cabina durante toda a manhã ou mesmo o dia inteiro;
  • Esperam de si que trabalhe de línguas ou para línguas que não fazem parte da sua combinação linguística;
  • As cabinas estão separadas por cortinados (não há isolamento acústico);
  • As cabinas estão diante duma parede e há um único monitor de televisão a mostrar o desenrolar dos trabalhos para 5 cabinas;
  • Não há técnicos;
  • Não há cabina; é posto na régie, na companhia dos técnicos de som, da imagem e das mesas de mistura;
  • Infelizmente, o rol não fica por aqui...

Esta pode ser uma experiência extremamente desagradável e frustrante. A interpretação de conferência exige uma alta concentração e condições deficientes só virão afectar negativamente o seu desempenho. Pode estar certo que não será a primeira vez que um colega se viu em apuros semelhantes. Se tem dúvidas peça SEMPRE conselho a um colega mais experiente! 

Não está sozinho – a AIIC existe para o apoiar.

A qualidade da sua prestação depende de si E das condições de trabalho em que exerce.

É de toda a utilidade conhecer o ramo da indústria de congressos - seja o mercado privado nacional, o internacional, as organisações internacionais ou os colegas de profissão. É essa a razão pela qual o trabalho desenvolvido pela AIIC tem tanto valor.

A AIIC - Associação Internacional de Intérpretes de Conferência - foi fundada em 1953 quando a interpretação de conferências ensaiava os primeiros passos. A AIIC reúne mais de 2,600  membros, espalhados por mais de 80 países. Ser membro desta associação profissional é revelador da vontade do intérprete de defender as condições de exercício da profissão e respeitar a ética que as rege.

Se está a pensar aderir, os intérpretes membros da AIIC estão disponíveis para o esclarecer e apoiar.

O que faz a AIIC

A AIIC é a única associação de intérpretes de conferência reconhecida internacionalmente

A AIIC  representa a profissão no seu conjunto. Nestes mais de cinquenta anos, tornou-se o marco de referência para os seus membros, os colegas não membros e os utilizadores dos serviços de interpretação.

Nesse decorrer, a AIIC estabeleceu normas profissionais em diversas áreas: condições de trabalho, formação em interpretação de conferência e equipamento de interpretação simultânea.

Essas normas aplicam-se nas Nações Unidas, na União Europeia e em quase todas as outras organisações inter-governamentais onde a interpretação de conferência é necessária. A AIIC também negocia honorários e outras condições monetárias com organisações internacionais no mundo inteiro em representação de todos os profissionais independentes, sejam eles membros ou não da AIIC.

A AIIC dispõe de vários Códigos de Boas Práticas que se aplicam mais especificamente no sector mercado privado. Servem para promover as condições de exercício da profissão para os intérpretes de conferência garantindo assim um nível de exigência e competência elevados. Podem abranger vários campos, tais como:

A AIIC publica também recomendações e orientações para os organisadores de conferências, acompanha as questões relativas às condições técnicas, presta apoio no campo da concepção de centros de congressos e elabora conselhos para os oradores.

Os membros da AIIC realizam inquéritos sobre vários aspectos da profissão, projectos de investigação na área da formação, e esforçam-se por esclarecer e sensibilizar terceiros para as condições de exercício da profissão.

Eis os campos onde a AIIC é pioneira:

  • A formação em interpretação de conferência e a formação de formadores;
  • Investigação multidisciplinar  sobre os processos cognitivos;
  • Organisação de cursos de aperfeiçoamento para profissionais em exercício;
  • Elaboração de normas para o enquadramento técnico da interpretação simultânea;
  • Desencadeamento e preparação da Recomendação da UNESCO sobre a definição e o reconhecimento da profissão;
  • Promoção da profissão em acontecimentos internacionais.

Perto de si há sempre intérpretes de conferência membros da AIIC. Os membros da AIIC duma mesma região estabelecem relações com outras organisações que representam os intérpretes no plano nacional (associações de tradutores e intérpretes, sindicatos, etc.).

Um intérprete de conferência em início de carreira não tem por que se sentir isolado. Existimos para facilitar os primeiros passos e transmitir-lhe as normas profissionais do exercício desta profissão. Tornar-se membro revela o empenhamento de cada um na carreira que escolheu.

Como aderir:

Entre em contacto connosco. Estamos disponíveis para responder às suas perguntas e observações.


Recommended citation format:
VEGA Network. "Dicas para Principiantes". aiic.net January 25, 2005. Accessed August 18, 2018. <http://aiic.net/p/2039>.



There are no comments to display