Declaracão da aiic sobre a preservacão do património linguístico da humanidade

"Quando morre uma língua, extingue-se a cultura que a sustenta,
perdem-se fontes de conhecimento, desaparece uma obra de arte.
É o mesmo que lançar uma bomba num museu, como o do Louvre."*

A Língua é a expressão viva da cultura humana e as várias línguas do nosso planeta dão voz à variedade das experiências humanas. Tal como a diversidade genética é hoje considerada um bem comum que deve ser preservado, também a diversidade linguística merece ser salvaguardada como património da humanidade.

Reduzir o número de línguas no diálogo entre os povos é empobrecer o legado comum do nosso saber e privar a humanidade dos frutos nascidos do fértil intercâmbio das correntes de pensamento, do pulsar dos sentidos e das formas de encarar a vida.

Qualquer exercício contabilístico e orçamental relacionado com as línguas tem que levar em linha de conta os benefícios muito concretos, mas quantas vezes intangíveis, inerentes à diversidade cultural, à comunicação entre culturas e às fontes da linguagem humana.

A utilização de múltiplas línguas no plano do diálogo internacional não constitui um impedimento à comunicação, pelo contrário, é uma parte essencial desta. É precisamente no intuito de promover a compreensão que o património linguístico da humanidade deve ser estimulado e salvaguardado.

* Observação feita por Kenneth Hale citado no Economist (3 de Novembro de 2001). K. Hale foi professor universitário da cátedra de Linguística no MIT e autor da obra "O Livro Verde sobre a Revitalização da Língua"


Recommended citation format:
AIIC. "Declaracão da aiic sobre a preservacão do património linguístico da humanidade". aiic.net April 9, 2002. Accessed September 23, 2017. <http://aiic.net/p/725>.


Message board

Comments 4

The most recent comments are on top

michael greco

   

I speak five languages. by far the easiest is Esperanto. But this community is the only linguistic community I know of which, by and large, has a profound respect for every other linguistic community.

Esperanto speakers world wide are--almost by the very nature of their situation--supporters of linguistic diversity and respect the rights of all people to retain their own language, be able to work, travel, learn without their language being an obstacle to this.

Esperanto by its very nature is a Neutral, Second

language which can be learned in weeks! not years.

And can be used today to speak to people across the globe. Let alone stay for free in their home!

The media as a rule just ignore, or ridicule Esperanto.Or say it's a dead language.

The Powerful have no desire to allow it to grow.

Example is theattempt(since its inception) of

Esperanto speakers to have a voice at the UN.

It will never hapen.

Unless there are some drastic changes in our leaders' ideals.

For now the ideal is "divide and..." continue to keep subdued.

Total likes: 0 0 | 0

Vincent BUCK

   

Quand j'ai posé la question de savoir où était restée la version française (en avril dernier), on m'a répondu qu'elle était en cours de traduction.

Est-elle déjà publiable aujourd'hui ?

Total likes: 0 0 | 0

Georganne Weller

   

I am very pleased to see AIIC go beyond the realm of conference interpreting and to broach the underpinnings of our professional calling. As a member of AIIC I am proud to see the association make this statement.

Total likes: 0 0 | 0

Manuel Sant'Iago Ribeiro

   

inspired PT version, congrats!

:-)

m.

Total likes: 0 0 | 0